Medicina Ortomolecular

A medicina ortomolecular foi criada em 1968 pelo norte-americano Linus Pauling (1901 – 1994). Ele criou esse ramo da medicina sem nunca ter sido médico, talvez por isso seja até hoje um assunto polémico. Em compensação foi laureado com dois prémios Nobel – o de Química e o da Paz.

A origem da palavra ortomolecular vem dos termos orto: que significa equilíbrio; e moléculas: que são os componentes celulares. O objetivo desta prática é estabelecer o equilíbrio dentro do organismo para proporcionar a harmonia entre os vários sistemas.

O foco da medicina ortomolecular é tratar o doente e não a doença. No momento em que o médico entende que o sintoma só existe porque alguma desordem esta a ocorrer no corpo, fica mais fácil reestabelecer a fisiologia e tratar o foco da doença, o real motivo pelo qual o paciente adoeceu.

A medicina ortomolecular baseia–se na utilização de nutracêuticos ao invés de medicamentos. Nutracêuticos são substâncias que derivam de produtos naturais, extraídos de plantas, raízes e outras fontes oriundas da terra. São compostos que o corpo humano já conhece e já possui rotas metabólicas para sua utilização, minimizando ou anulando efeitos colaterais indesejados.

Por fim, o objetivo da medicina ortomolecular é promover uma melhor qualidade de vida ao paciente, optimizando a funcionalidade dos seus sistemas, integrando–os sob a óptica de estabelecer a homeostase do seu organismo.

                    Marca a tua consulta!